Na educação bilíngue, o aluno não aprende inglês. Ele aprende em inglês

Na educação bilíngue, o aluno não aprende inglês. Ele aprende em inglês. O idioma é usado como ferramenta para adquirir conhecimento de diversas disciplinas: matemática, ciências, artes, entre outras.

Os alunos aprendem a pensar nos dois idiomas em que lidam diariamente, transitando com desenvoltura entre as línguas portuguesa e inglesa.

O Cérebro Bilíngue

Estudos comprovam que a pessoa bilíngue tem mais facilidade para desenvolver um raciocínio lógico, mais velocidade na tomada de decisões e maior adaptabilidade. Quando alterna idiomas e escolhe as melhores palavras em cada um, a criança exercita o “Sistema Central de Controle Executivo” do cérebro, realizando com mais eficiência as demais tarefas processadas ali, como organização de pensamento, empatia, motivação, entre outras. 

Começar cedo é melhor!

No início, é comum que a criança misture as duas línguas. Porém, é questão de prática. Rapidamente ela identifica quais palavras cabem em cada contexto, resultando em um aprendizado sólido. Assim, quanto mais cedo se aprende outra língua, mais chances a criança tem de processá-la e compreendê-la como falante nativo.